Mostra Competitiva de Curtas

Uma mostra internacional competitiva de curtas-metragens, com foco principal em seus roteiros.

Na edição 2017 foram inscritos 116 filmes de 21 países diferentes e 14 obras foram selecionadas. As sessões acontecerão nos dias 4 e 5 de julho na Cinemateca Capitólio. A curadoria foi formada por Alessandro Engroff, Boca Migotto, Daniel Calil Cançado, Denise Marchi, Lillah Halla e Lucas Cassales.

Os filmes selecionados estarão concorrendo aos seguintes prêmios: “melhor roteiro”, “melhor personagem”, “melhor diálogo”, “melhor cena”, “melhor final”, “melhor título” e “melhor roteiro segundo júri popular”.

O Júri Oficial será formado por Aly Muritiba, Augusto Canani, Jéssica Luz, Richard Tavares e Silvia Lourenço.

O “melhor roteiro” ganhará um software Final Draft 10 (no valor de 250 dólares) + um ano de assinatura da ISA Connect – International Screenwriters’ Association (no valor de 100 dólares).

 

O FRAPA parabeniza os selecionados para a Mostra 2017:

BEAUTY BUILDING, roteiro de Benoit Bargeton (França) – 6min // Download do Roteiro PDF (francês)

Lise é uma jovem designer gráfica em uma agência que faz montagens fotográficas. Ela passa seu tempo remontando a aparência de modelos para capas de revistas como a COSMOPOLITAN, e fazendo idosos parecerem quinze anos mais jovens para fins de seguros de vida. No entanto, não está satisfeita no trabalho, e ainda por cima recebe uma nova tarefa: refazer o próprio corpo para a página de contatos da agência. A situação a faz questionar-se até tomar consciência da situação.

 

CASCA DE BAOBÁ, roteiro de Mariana Luiza e Rodrigo Savastano (Rio de Janeiro/RJ, Brasil) – 12min // Download do Roteiro PDF

Mãe, quilombola residente na Fazenda Machadinha, interior do Estado do Rio, troca cartas com sua filha, que mudou para a capital após ingressar na universidade.

 

 

 

DESFRAGMENTO, roteiro de Helena Lukianski e Giuliana Heberle (Porto Alegre/RS, Brasil) – 14min // Download de Roteiro PDF

Clara é uma jovem de 23 anos que sofreu um acidente de carro há tempos que resultou na morte de seus pais e fez seu irmão, Rafael, entrar em um coma prolongado. Solitária e introspectiva, ela precisará lidar com o seu despertar repentino.

 

 

DEUS, roteiro de Vinicius Silva e Débora Mitie (São Paulo/SP, Brasil) – 25min // Download de Roteiro PDF

O cotidiano de uma mãe negra da periferia de São Paulo e sua influência divina sobre o filho.

 

 

 

ESTADO ITINERANTE, roteiro de Ana Carolina Soares (Belo Horizonte/MG, Brasil) – 25min // Download de Roteiro PDF

Vivi quer escapar de uma relação opressora. Em período de experiência como cobradora de ônibus, ela trabalha desejando não voltar para casa. A semana passa rápido, entre as paradas no ponto final e o itinerário os encontros com outras cobradoras fortalecem a mulher trabalhadora e seu desejo de fuga. Logo é final de semana e o centro de Belo Horizonte já não parece tão longe do bairro Boa Vista. 

 

 

FERRUCCIO – STORY OF A (LITTLE) ROBOT, roteiro de Stefano de Felici e Hulda Federica Orrù (Itália) – 6min //

Duccio é inventor por vocação. Em seu atelier, em casa, ele se propõe um desafio excepcional. Graças à sua determinação e um pouco de magia, um pequeno circuito criará Ferruccio, um robô criado a partir de pedaços de eletrônicos.

 

 

LE FRUITS DU TEMPS, roteiro de Matthieu Boivineau (França) – 26min // Download de Roteiro PDF (francês)

Um jardim com uma enorme cerejeira. Uma família; memórias e momentos da vida e do tempo passam sem parar. Ao longo das quatro estações, a cerejeira cresce, e a família também, como um poema sobre a passagem do tempo e um ode à natureza.

 

 

LUIZA, roteiro de Caio Baú (Curitiba/PR, Brasil) – 15min // Download de Roteiro PDF

“Luiza” trata da delicada relação entre uma jovem deficiente e o universo que a cerca, tendo a sexualidade como fio condutor para abordar questões como preconceito, relações entre pais e filhos, super-proteção da família, autonomia, diferenças e amor.

 

 

LUNCH TIME , roteiro de Alireza Ghasemi (Irã) – 16min

Uma garota de 16 anos chega ao hospital para identificar o corpo de sua mãe. Por ser muito jovem, os funcionários do hospital não querem deixá-la entrar no necrotério, e pedem que ela traga seu responsável legal para fazer o reconhecimento. A garota insiste que a maior parte de sua família está presa por atividades criminais. Finalmente, após muita insistência, eles a permitem entrar no necrotério…

 

 

MY TREASURE, roteiro de Michael Flores (El Salvador) – 23min // Download de Roteiro PDF

Uma faxineira rouba um mapa da guerra civil de El Salvador e vai em busca de um tesouro, com a esperança de reencontrar seu filho.

 

 

 

 

 

 

O CHÁ DO GENERAL, roteiro de Bob Yang e Frederico Evaristo (São Paulo/SP, Brasil) – 22min // Download de Roteiro PDF

Um general aposentado chinês recebe a inesperada visita de seu neto.

 

 

 

STANLEY, roteiro de Paulo Roberto (João Pessoa/PB, Brasil) – 19min // Download de Roteiro PDF

Quando eu tinha sete, oito anos… vi meu pai conversando com um amigo. Não entendia muito bem o que eles estavam falando… o que eu mais lembro era dos lábios mexendo. Fiquei com vontade de beijar a boca do amigo do meu pai!

 

 

THE NOSE, roteiro de Lee HanJun (Coréia do Sul) – 9min // Download de Roteiro PDF (inglês)  

Esta é a história de uma mulher que perde seu nariz logo após uma cirurgia plástica, e sai procurando por ele em todos os lugares, na esperança de encontrá-lo a tempo de sua entrevista de emprego no dia seguinte.

 

 

TIEMPO DE SEQUIA, roteiro de Nico Stefanazzi e Sabrina Blanco (Argentina) – 14min // Download de Roteiro PDF (espanhol)

Alfredo e Elvira estão casados e vivem em um povoado afastado da cidade. Há mais de um ano, passam por uma seca que está, aos poucos, deixando-os sem nada. O casal precisará tomar uma decisão que definirá suas vida — antes que seja tarde demais.

 

 

 

CURADORIA DA MOSTRA:

ALESSANDRO ENGROFF – Roteirista e jornalista, trabalha com criação de séries para web, TV e longas-metragens. Em 2016, foi finalista do Globo Lab com a websérie de comédia “Jujuba Sem Glúten” e do Festival GUIÕES (Portugal) com o drama “Filho dos Sonhos”. Atualmente escreve a série “Paralelo 30”, com previsão de estreia para 2018 no Prime Box Brazil. Desde 2014, trabalha na produção e na curadoria da mostra de curtas-metragens do FRAPA (Festival de Roteiro de Porto Alegre). Por dois anos, frequentou o Programa de Formação de Roteiristas do B_arco, em São Paulo, onde também produziu conteúdo digital para Warner Bros., Paramount e canais Turner.

BOCA MIGOTTO é formado em Publicidade e Propaganda, Especialização e Mestrado em Cinema, pela Unisinos. Estudou cinema na Saint Martins College, de Londres e, atualmente, é doutorando na FABICO/UFRGS. É professor do Curso de Realização Audiovisual da Unisinos. Ex-sócio da Epifania Filmes, em 2016 estruturou a Teimoso Filmes e Artes. Seus mais importantes trabalhos em cinema e televisão incluem a série Sapore d`Italia, primeira série de ficção da RBSTV gravada no exterior, a série de ficção Bocheiros (TVE e Prime Box Brazil), e o longa-metragem documentário “Filme Sobre um Bom Fim”, selecionado para o Festival “É Tudo Verdade” 2015. É diretor de mais de 15 curtas e médias-metragens de ficção e documentários. Está lançando seu terceiro documentário longa-metragem, “Pra ficar na história” e em fase e montagem com o longa-metragem “Já vimos esse Filme”, sobre o golpe ocorrido no Brasil em 2016.

DANIEL CALIL atua como roteirista, diretor e produtor. Estudou Direção de Cinema na AIC em São Paulo e fez alguns cursos complementares, como um de roteiro com Eliseo Altunaga na EICTV. Dirigiu o curta-metragem de ficção E o Galo Cantou, que tem sido exibido em importantes festivais brasileiros e foi indicado ao Grande Prêmio do Cinema Brasileiro em 2017. Atualmente trabalha como roteirista e autor do Núcleo Flô Produções, além de estar desenvolvendo três séries e alguns projetos de longas. A frente da produtora goiana Pira Filmes Produções, Daniel encabeça o desenvolvimento e a produção de diversos produtos audiovisuais que tem conquistado espaço no mercado regional e nacional.

DENISE MARCHI – Nascida em São Paulo, criada em Salvador e formada em cinema no Rio Grande do Sul, atua no mercado audiovisual desde 2006 principalmente como diretora, roteirista e produtora executiva, tendo já editado diversos produtos também. Entre seus principais trabalhos como diretora e roteirista estão a série documental Por mais terras que eu percorra, na qual também foi produtora executiva; e os curtas Trocam-se bolinhos por histórias de vida (2010), Uma vida feita de outras (2012) e O homem que conserta estrelas (2013) que, juntos, já percorreram mais de 35 festivais nacionais e internacionais, incluindo o Festival de Paulínia, o Festival de Havana, o FESTin e o Kunzfilmfetival, tendo sido premiados em diversos deles.

LILLAH HALLA – Formada em Direção e Roteiro pela EICTV- Cuba, Lillah participou do programa de pós ELAP, na Concordia, Montreal. Seu curta Si no se puede bailar, esta no es mi Revolución (Cuba, 2014), ganhou Melhor Filme para Reflexão no Janela do Cinema (Recife), Melhor Filme Experimental no FFM Montreal e Melhor Direção na Semana dos Realizadores (RJ). Lillah vive e trabalha entre São Paulo e Berlim. É integrante-fundadora do Coletivo Vermelha (diretoras-roteiristas de São Paulo), com o qual realiza ações relacionadas à representação de gênero no audiovisual. Também é co-roteirista e diretora do projeto Livramento (Brlab 2016, prêmio Tribeca de consultoria e prêmio Ibermedia), em fase de desenvolvimento.

LUCAS CASSALES – Graduado em Cinema na PUCRS e Mestre em Comunicação Social pela mesma instituição. Como roteirista e diretor, trabalhou nos curtas-metragens “O Corpo” (Kikito de melhor curta em Gramado 2015), “Sofá Verde” e “Sebo”. Seu primeiro longa, “Disforia”, será filmado em 2017. Como produtor executivo, trabalhou no longa-metragem “Eles vieram e roubaram sua alma”, com estreia prevista pra esse ano, e no curta “Trique-trique”, com exibição na RBS TV e Canal Brasil. Também é criador e curador do Festival Diálogo de Cinema.

 

JÚRI OFICIAL DA MOSTRA DE CURTAS:

ALY MURITIBA é formado em História pela USP e especialista em Comunicação e Cultura pela UTFPR. Roteirista, produtor e diretor, Aly Muritiba já dirigiu 9 curta metragens, um longa documentário, dois longas de ficção, com os quais já conquistou mais de 150 prêmios em festivais de cinema. Suas principais realizações são os curtas “A Fábrica” (vencedor de mais 60 prêmios em festivais nacionais e internacionais, nominado ao OSCAR 2013), “Pátio” (vencedor do É Tudo Verdade e selecionado para a Semana da Crítica do Festival de Cannes), “A Gente” (longa vencedor do DOK Leipzig, 2013) e “Tarântula” (curta selecionado no Festival de Veneza, 2015). Seu longa “Para minha amada morta” ganhou o Global Filmmaking Award do Sundance Institut e diversos prêmios no Festival de Brasília, incluindo o de melhor diretor, além de ter estado em festivais internacionais como San Sebastian, Amiens e Havana. “Ferrugem”, seu segundo longa de ficção está em fase de pós produção. O roteiro de “Barba Ensopada de Sangue”, de sua autoria, participou do Torino Film Lab e deve ser filmado em setembro de 2017. Em 2016, Aly dirigiu as séries de ficção “O Hipnotizador” – S2 (HBO) e “Nóis por Nóis” (TV Brasil). Atualmente, ele escreve a 2ª temporada de “Carcereiros” (Globo) e é professor de Roteiro na UNESPAR. Além de realizador, Aly Muritiba é diretor e produtor do Olhar de Cinema, Festival Internacional de Curitiba.

AUGUSTO CANANI nasceu em Porto Alegre. Após uma década trabalhando como designer e diretor de criação publicitária, Canani se entregou exclusivamente à realização audiovisual. Diretor e roteirista realizou três curtas queganharam mais de 40 prêmios em mais de 60 festivais de cinema no Brasil e pelo mundo. O primeiro deles, “Intestino Grosso”, foi rodado em 16mm e premiado em diversos festivais brasileiros. Em 2010, realizou o segundo, “Amigos Bizarros do Ricardinho”, com um elenco de não-atores, que circulou e foi premiado em diversos festivais nacionais e internacionais e estreou como único filme brasileiro selecionado para o festival New Directors New Films no MoMA, em NY. Em 2012, Canani realizou seu terceiro curta, “Amores Passageiros”, que ganhou o prêmio de melhor filme estrangeiro no Los Angeles International Short Film Festival, um dos maiores e mais prestigiados festivais de curtas do mundo. Após uma boa carreira internacional, o curta foi selecionado por Werner Herzog para ser exibido em seu seminário na Rogue Film School, em Los Angeles, em 2014. Atualmente Canani desenvolve dois projetos de séries de TV para Globo como diretor e autor, enquanto trabalha em seu primeiro longa, “Jepotá”, realizado com o autor indígena Papá Guarani.

JÉSSICA LUZ – Produtora formada em Jornalismo e Cinema pela UNISINOS. Com especialidade em Economia da Cultura pela UFRGS e mestrado em “Diseño y Gestión de la Producción Audiovisual” pela Universidade Autonoma de Barcelona, em 2014, participou do “Writers and Creative Producers Lab” do Binger FilmLab em Amsterdam. Desde 2015, é professora de produção na UNISINOS. Em 2016, participou do Talent Project Market, dentro do Programa Talents do Festival de Berlim. Também cursou o EAVE on Demand. Com uma extensa experiência em produção para TV, destaca-se sua participação em diversas séries e telefilmes como  “Mulher de Fases” (HBO), “A Vida de Rafinha Bastos” (FOX), “O Tempo e o Vento” e “Doce de Mãe” (TV Globo). Com base em Porto Alegre, é sócia da Besouro Filmes desde 2006 e nos últimos dez anos, produziu diversos curta-metragens, longas e programas de TV pela sua empresa. Atualmente produz seu próximo projeto de longa de ficção “GarotoNeon”, de Filipe Matzembacher e Marcio Reolon, com apoio do Hubert Bals Fund e do Ministério da Cultura, e desenvolve o longa documentário “5 Casas”, de Bruno Gularte Barreto, vencedor do IDFA Bertha Fund para desenvolvimento de projeto e roteiro.

RICHARD TAVARES – Formado em Cinema e vídeo pela PUCRS, é Roteirista, diretor e diretor de arte. É co-roteirista do filme Rifle (dirigido por Davi Pretto), Melhor Roteiro no  49º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, Melhor filme do 12º Panorama internacional  coisa de cinema de Salvador, vencedor do Grande Prêmio do 18th Jeonju International Film Festival e também selecionado para a 67ª Berlinale – Forum. Dirigiu os curtas, Gaveta (Melhor direção estreante no festival de curtas de São Paulo em 2010), Garry (CineBH 2012), Na hora dos Morcegos (21º Cine Vitória). Em 2012 foi selecionado para o programa Talent Campus – BAFICI.  Além disso já trabalhou em séries e filmes exibidos em diversos festivais de cinema do mundo como Locarno, Lisboa, Estocolmo, Huelva, San Sebastian, Viña Del Mar, Nova York e Havana. É também um dxs curadores e idealizadorxs do Festival Diálogo de Cinema de Porto Alegre.

SILVIA LOURENÇO estreou no cinema como atriz em 2004, no longa “Contra Todos”, de Roberto Moreira, primeiro filme da Coração da Selva, produtora paulista na qual ela hoje trabalha como roteirista. Começou escrevendo como colaboradora de Luiz Bolognesi nos longas “Uma História De Amor e Fúria” (dirigido por Luiz Bolognesi) e “As Melhores Coisas do Mundo” (dirigido por Laís Bodansky). Também colaborou com Luiz Carvalho no longa “Como Esquecer?” (dirigido por Malu de Martino) e com o cineasta carioca João Jardim na série documental “Família é Família” para o canal GNT. Como roteirista-chefe, assinou o longa “Insubordinados” (dirigido por Edu Felistoque) e a série “Condomínio Jaqueline” (dirigida por Roberto Moreira e Luciano Patrick para a FOX). Atualmente, escreve o longa “O Luto de Joana” em parceria com a diretora gaúcha Cristiane Oliveira, além de integrar o núcleo de desenvolvimento criativo da produtora Coração da Selva.

 

REGULAMENTO DA MOSTRA COMPETITIVA DE CURTAS

1) A quinta edição do FRAPA – Festival de Roteiro Audiovisual de Porto Alegre acontecerá na cidade de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, dos dias 04 a 07 de julho de 2017.

2) Os filmes inscritos na Mostra Competitiva deverão obedecer os seguintes critérios:
I) Possuir até 30 minutos de duração, incluindo créditos.
II) Possuir formato digital em FULL HD para exibição.
III) Não ter sido exibido publicamente antes do dia 1º de janeiro de 2016.
IV) Não ter sido inscrito em uma edição anterior do FRAPA.

3) A inscrição se dará mediante preenchimento do formulário online no site do FRAPA, envio do roteiro, e do link do filme (Vimeo, Youtube). Caso o vídeo tenha senha condicionando o acesso, a mesma deverá ser informada no ato da inscrição.
I) Serão aceitos filmes de ficção, documentário ou animação, provenientes de qualquer país ou território.
II) Quando o filme estiver em outro idioma que não seja o português, deverá obrigatoriamente estar
 legendado em português, inglês ou espanhol para a seleção. No caso de o filme ser selecionado, deverá enviar com legenda em português.
III) Serão aceitos roteiros apenas em português, inglês ou espanhol.
IV) Os roteiros devem ser enviados em formato PDF.

4) As inscrições ficarão abertas até as 23h59min, horário de Brasília, do dia 30 de abril de 2017.

5) As inscrições de cada curta-metragem na Mostra Competitiva do FRAPA serão confirmadas mediante a confirmação do pagamento da taxa de R$ 20,00 (vinte reais).

6) A seleção ficará a cargo de uma curadoria composta por profissionais do meio cinematográfico, convidados pela organização do Festival. O foco da seleção será nos roteiros dos filmes, de modo tal que as decisões desta curadoria sejam soberanas e irrecorríveis.

7) A organização do FRAPA tem autonomia para prorrogar, ou não, o prazo de inscrição de acordo com a necessidade do evento.

8) A cópia de exibição dos filmes de curta-metragem selecionados deverão ser entregues à organização do FRAPA, impreterivelmente até a data 15 de junho, mediante envio de link para download. O arquivo do filme para exibição deverá estar em formato digital – full HD (MOV-H264), som dolby 5.1 ou 2.0 (estéreo). As cópias de exibição deverão estar legendadas em português com o texto inserido na imagem, não podendo ser enviado em arquivo separado (ex.: .srt).

9) No ato da inscrição, o Responsável pela mesma autoriza o FRAPA, através de seus organizadores, de divulgarem a exibição do filme, por meio de fotos, frames e/ou trechos do curta-metragem, bem como os nomes relacionados na ficha técnica.

10) Os filmes selecionados para a Mostra Competitiva concorrerão aos prêmios de:
I) melhor roteiro
II) melhor personagem
III) melhor diálogo
IV) melhor cena
V) melhor final
VI) melhor título
VII) melhor roteiro segundo o público

11) A escolha dos premiados em todas as categorias citadas acima será feita por um corpo de jurados que será divulgado no ato de premiação.

12) O resultado das premiações do júri será divulgado no encerramento do Festival. As Comissões de Seleção e de Premiação são soberanas em suas decisões, não cabendo recursos.

13) Os realizadores encarregados das inscrições das obras audiovisuais devem ter a garantia da obtenção e liberação de direitos conexos relativos à inclusão de obras musicais e audiovisuais e imagem e som de voz de indivíduos porventura incluídos na obra inscrita, sendo inteiramente responsáveis por quaisquer ônus decorrentes da ausência de tais liberações.

14) Os responsáveis pelas inscrições das obras audiovisuais autorizam a publicação dos roteiros enviados no ato da inscrição no site do FRAPA, em caso de seleção das respectivas obras audiovisuais. Os roteiros estarão disponíveis para download no site do evento.

15) Situações excepcionais ou casos omissos a este regulamento serão decididos pela organização do FRAPA.